Lia e a Educação Social!

Competências do Recém Nascido – O Reflexo

Este trabalho corresponde às competências do recém-nascido, mais concretamente aos seus reflexos, muitos dos quais estão presentes à nascença ou surgem pouco depois.

A origem dos reflexos foi ao longo do tempo discutida e embora alguns sejam associados a instintos de sobrevivência, outros fazem parte da herança da evolução humana.

Assim sendo, reflexo é uma relação entre estímulo e resposta, é um tipo de interacção entre o organismo e o seu ambiente. Ou seja, são respostas automáticas, involuntárias e inatas a um estímulo sensorial.

Existem diferentes tipos de reflexos primitivos, nomeadamente: sucção, preensão, natatório, tónico do pescoço, moro ou reflexo do susto, Babinski, marcha e subir o degrau.

Entende-se por reflexo da sucção quando um objecto é colocado na boca do recém-nascido este começa a sugá-lo imediatamente, isto acontece mesmo que não tenha fome. É um reflexo que dura aproximadamente até aos 4 meses, após o nascimento.

Quanto ao reflexo da preensão, o recém-nascido tende a agarrar tudo aquilo que lhe é colocado próximo da mão. O recém-nascido é capaz de suportar o peso do próprio corpo segurando com as mãos, apenas dois dedos da mãe. Este reflexo tende a desaparecer ao longo do primeiro ano de vida.

No que diz respeito ao reflexo natatório, o recém-nascido é capaz de, quando colocado dentro de água, fazer movimentos coordenados de natação. Este reflexo vai até ao quarto mês de vida.

O reflexo tónico do pescoço é perceptível quando a cabeça de um recém-nascido é virada para um lado, os membros desse mesmo lado esticam-se, enquanto os do lado oposto se encurvam, tendendo a desaparecer no sexto mês de vida.

Moro, este reflexo é um gesto de auto-protecção que o recém-nascido exibe quando assustado por um barulho ou segurado sem cuidado, abre e fecha os braços com os dedos estendidos como se tentasse agarrar algo. Dura até ao terceiro mês.

O reflexo de babinski caracteriza-se através de uma pressão na sola do pé, provocando a distenção dos dedos. Prelonga-se até ao quarto mês.

A marcha é detectada, no recém-nascido, quando o seguramos debaixo dos braços, este é capaz de dar alguns passos numa superfície sólida. Este reflexo desaparece depois de alguns meses, voltando a aparecer no final do primeiro ano quando o bebé começa a tentar dar os primeiros passos.

Para finalizar, o reflexo de subir o degrau consiste em tocar no calcanhar do recém-nascido e este, automaticamente, afasta o pé.

Como já foi referido anteriormente, a maior parte dos reflexos observados servem apenas para a primeira fase de vida, tendendo a desaparecer muito rapidamente e a serem substituídos por movimentos voluntários.

É importante, ainda, referir que os resultados positivos nos testes de reflexos são um bom indicador de saúde do recém-nascido.

 

Bibliografia

 

 

ž                FILHO, JAIME – O Recém Nascido. www.geocities.com, 1997

ž                FRANCO, LEAN – Reflexos e Reacções. in www.geocities.com, [s/d]

ž                NOBRE, MARCO – Desenvolvimento Psicomotor. in http://clientes.netvisao.pt, 2005

ž                OLIVIER, CELSO – Técnicas avançadas de estímulo ao desenvolvimento neuromotor do recém nascido. in www.docsystems.med.br, [s/d]

&              PAPALIA, D. OLDS; FELDMAN, – O Mundo da Criança. Megraw-Hill, 2001

The Rubric Theme. Blog em WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: